Exportações de carne de frango chegam a 316,9 mil toneladas em fevereiro

11/03/2019

China incrementa compras e assume liderança mensal entre os importadores

São Paulo, 11 de março de 2019 – As exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) alcançaram 316,9 mil toneladas em fevereiro, informa a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).  O número é 2,2%   superior em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram embarcadas 310,2 mil toneladas.

Em receita, o resultado do segundo mês de 2019 é 6,3% maior na comparação com o ano anterior.  Foram US$ 526 milhões neste ano, contra US$ 494,9 milhões em relação a fevereiro de 2018.

No bimestre, o saldo das exportações de carne de frango alcançou 598,7 mil toneladas, volume 6,6% menor que as 640,7 mil toneladas embarcadas no mesmo período do ano passado.  Em receita, as vendas bimestrais chegaram a US$ 979,1 milhões, resultado 3,6% menor que os US$ 1,015 bilhão gerados em 2018.

O principal destaque do mês é a China, que assumiu a liderança entre os destinos das exportações brasileiras em fevereiro.  O mercado chinês importou no período 38,8 mil toneladas, elevando suas compras em 11% em relação ao segundo mês de 2018.  No bimestre, a alta das vendas ao mercado chinês alcança 5%, com 72,5 mil toneladas.

A Coreia do Sul, que recentemente habilitou mais 4 plantas exportadoras de aves, também incrementou suas compras.  No mês, a elevação chegou a 24%, com 8,2 mil toneladas.  No bimestre, a alta é de 6%, com embarques totais de 15,6 mil toneladas.

Abaixo está a lista dos principais destinos das exportações de carne de frango no bimestre. Neste período, a Arábia Saudita segue como principal destino de exportações.

RANKING PAÍS VOLUME (MIL TONS) SHARE
1 ARABIA SAUDITA 74,705 12,8%
2 CHINA 72,517 12,4%
3 JAPAO 58,669 10,0%
4 EMIRADOS ARABES 56,687 9,7%
5 AFRICA DO SUL 40,331 6,9%
6 UNIÃO EUROPÉIA 35,582 6,1%
7 HONG KONG 25,912 4,4%
8 IEMEN 18,332 3,1%
9 KUWAIT 17,791 3,0%
10 IRAQUE 16,461 2,8%

“A situação sanitária em países da Ásia, como é o caso da China, decorrente de focos de Peste Suína Africana, pressionou a demanda por diversas proteínas em grandes mercados daquela região.  Graças a isto, a receita geral das exportações brasileiras apresentou melhor nível de elevação que o saldo em volumes”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA.

ABPA promove curso sobre Uso Sustentável da Água

Leia Mais

ABPA prorroga prazo para submissão de trabalhos no Mérito de Pesquisa Aplicável

Leia Mais

Conheça os projetos de apoio à exportação de proteínas brasileiras

Brazilian Pork Brazilian Chicken Brazilian Egg
WordPress Image Lightbox